Serious young woman in stylish rectangular glasses and polo shirt looking away with thoughtful and pensive expression, squinting her eyes and holding hand at her chin while thinking over something
OUÇO MINHA VOZ INTERIOR COM FREQUÊNCIA?
26 de February de 2021

Quantas vezes ouvimos nossa voz interior de forma honesta e realmente conseguimos dar um novo rumo ou outra resposta para essa ou aquela situação e não conseguimos?

Seguimos na zona de conforto, com o que talvez seja mais propício ou o mais adequado para aquela ocasião, porém nem sempre essa zona é confortável assim. Por dentro uma avalanche de emoções e sentimentos nebulosos tomam conta de nós.

Quem nunca passou por isso, não é mesmo?

Vale lembrar que por mais que nos esforcemos existe um padrão social, absurdamente fincado em nossa cultura. Crescemos ouvindo que certas atitudes, principalmente para os meninos, não devem ser feitas, como por exemplo, chorar meninos não choram!

Aposto muito no termo conformismo, entramos num ciclo tão vicioso de aceitar, e aceitar sem ao menos questionar. Por que temos que nos conformar e abaixar nossa cabeça em todas as situações? Pode parecer que estou querendo dizer para nos transformar em autoritários, ou melhor, os donos da verdade.

Mas, caro amigo leitor não é esse o ponto. Temos em nossas mãos o poder de decidir sobre nossas vidas, de projetar um futuro diferente para nós e para as próximas gerações.

Para isso é necessário diminuir o ritmo frenético que vivemos, nos desconectar um pouco da tecnologia e voltar a nossa atenção para nós e nos ouvir com mais carinho.

Lembrem-se, nosso corpo fala!

Estamos realmente prestando atenção ao que de fato importa? A nossa respiração está adequada? Admiramos a comida que comemos, conseguimos apreciar os sabores de cada alimento, ou simplesmente, comemos para nos manter vivos que também não quer dizer que estejamos saudáveis.

Agora, e aos seus sentimentos e emoções você consegue ouvir? Uns chamam de voz interior, outros de intuição ou sexto sentido, seja qual for a nomenclatura dada a grande questão é, você ouve com frequência sua voz interior?

Proponho uma autorreflexão, que tal parar um tempinho e pensar sobre?

AUTORREFLEXÃO, UM HÁBITO QUE DEVEMOS CULTIVAR

A autorreflexão é o momento em que olhamos para dentro nós, revisitamos hábitos e atitudes que muitas vezes estamos fazendo por impulso, no modo automático.

Mais do que revisitar, precisamos nos ouvir de forma muito sincera e analisar se a nossa conduta de vida está fazendo sentido para você.

Sejamos realistas, separamos muito tempo para cuidar do nosso corpo, para fazer novos cursos, passear, namorar, até ai tudo bem e tudo certo, mas será que separamos um tempo para nós?

Falo do momento nosso de autorreflexão, permitindo-nos entender cada emoção sentida. Caminho este que nos leva ao autoconhecimento.

Quando estabelecemos rotinas, conseguimos com mais êxito chegar ao resultado esperado. Mudar um hábito ou iniciar uma nova rotina leva tempo e muita força de vontade, muitas vezes nos perdemos na procrastinação.

Temos que ser persistentes com os nossos objetivos!

 “Conforme seus músculos da força de vontade se desenvolveram, os bons hábitos parecem transbordar para outras partes de sua vida.” trecho do livro O poder do hábito, escrito por Charles Duhigg.

Uma dica que sempre falo em clínica é, separe um momento do seu dia para você! Comece a se conhecer! Vá para algum lugar mais calmo, pause seus pensamentos por alguns instantes. Relaxe seu corpo e sua mente. E dê espaço para sua voz interna. Reflita!

COMO LIDAR COM OS DIVERSOS SENTIMENTOS?

Na prática da autorreflexão e autoconhecimento sabemos o quanto é complicado definir e entender cada um dos nossos sentimentos e emoções que surgem em nossas vidas.

Lidar com eles então, nossa que tarefa difícil e dolorosa! Muitas vezes implica em autoperdão, autoaceitação e/ou rompimento de padrões.

A palavra autoperdão nos leva ao entendimento que estamos propondo para nós esquecer fatos que não nos fizeram bem, entretanto com o auxílio da terapia psicanalítica refazemos o percurso daquele fato e através da fala vamos elaborando e ressignificando. E não simplesmente esquecendo! Daí então, podemos dizer que estamos em paz.

A autoaceitação muitas vezes implica em enxergar que somos passíveis de erros, que temos limites a serem respeitados e que não conseguiremos agradar a todos ou então não nos enquadramos nesse ou naquele padrão social e entender que tudo bem!

Podemos dizer que a partir do momento que nos ouvimos com mais frequência, identificamos pontos de atenção. Uma porta se abre para o nosso perdão e aceitação, dando a oportunidade de rompermos padrões e seguirmos a nossa jornada sob o nosso comando.

Por mais que pareça difícil manter a autorreflexão como um hábito de vida, com o passar do tempo vai ficando mais fácil, vamos conquistando um bem estar incrível de nos ouvir e nos respeitar. Se mesmo assim você tiver dificuldade, não hesite em procurar o auxílio de um dos nossos terapeutas.

Será maravilhoso percorrer essa jornada com você!

Sheila Murari
Psicanalista clínica formada na Kadmon Sociedade Brasileira de Psicanálise e Coaching, cursando especialização Junguiana (Psicologia Analítica) e em interpretação de sonhos. Publicitária graduada em Comunicação Social especializada em Publicidade e Propaganda, pela universidade São Marcos. Sócia fundadora do Instituto Elaborar. Atuou como atendimento publicitário em grandes e importantes agências de publicidade, gerenciou renomadas contas do varejo e institucional, como: Casas Bahia, Pontofrio, Coop (cooperativa de consumo e drogarias), Tigre, Coral, Bradesco cartões, AACD e grupo hospitalar Américas Serviços Médicos. Vivência no Banco Itaú Personnalité na gestão analítica de perfil de investidores para melhor direcionamento em aplicações e transações bancárias. Gestão de pacientes no Instituto Cohen.